O INDIGENATO MENTAL DE TUDO ISTO…

O que mais impressiona nos debates que tanto têm ocupado os nossos políticos e os nossos media nos últimos tempos, é a periferia extrema em que eles se situam em relação ao mundo de hoje, o paroquialismo que eles revelam e o indigenato mental que eles exibem.

Apresentam-se como soluções o que já se sabe serem impasses sem saída. Apresentam-se como ideais o que há muito se reconhece serem ilusões desacreditadas. Ignoram-se como irrelevantes quase todos os novos problemas que já aí estão, incontornáveis.

Talvez tudo isso pouco importe, é certo, agora que se começam a tornar evidentes os limites da “magia” Mario Draghi e do “seu” BCE,  e se começa a impôr o que, na verdade, quase ninguém parece capaz de pensar: que o tempo da charlatanice do crescimento acabou, e que um outro mundo – e uma outra Europa – vem aí.

Deixe uma resposta