O “CENTRO DO MUNDO” E O PAROLISMO NACIONAL

Numa época que se singulariza pela extrema efemeridade de tudo, e em que os chamados “grandes eventos” não são mais do que uma eloquente ilustração dessa mesma efemeridade, procurar justificar um assalto milionário ao erário publico para realizar em Lisboa, com a presença papal, a próxima Jornada Mundial da Juventude, exigia pelo menos alguma imaginação e bons argumentos – nunca a parolice de fazer de Lisboa e de Portugal o “centro do mundo” e outras bacoquices do género… Enfim, mais uma prova da miséria mental a que estão reduzidas as nossas elites.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *